Mutirão

“Valorize o Pequeno Negócio” marca as comemorações do dia da Micro e Pequena Empresa

A mobilização feita pelo Sebrae teve a presença do presidente da instituição, Carlos Melles, em Ceilândia (DF). No total, foram registrados cerca de 23 mil visitas a clientes em todo país

Um grande mutirão, envolvendo técnicos do Sebrae, marcou as comemorações do Dia da Micro e Pequena Empresa, em Ceilândia, no Distrito Federal, e em todo o país, onde ocorreram diversas outras mobilizações, nesta quinta-feira (3). O objetivo da instituição foi aproximar-se ainda mais dos donos de pequenos negócios, além de prestar uma homenagem aos empreendedores. Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, que esteve presente no evento com os diretores Técnico Bruno Quick e de Administração e Finanças Eduardo Diego e do superintendente do Sebrae no Distrito Federal, Valdir Oliveira, o “Valorize o Pequeno Negócio” foi uma forma do Sebrae se colocar à disposição do segmento.

O Dia da Micro e Pequena Empresa foi instituído em 5 de outubro de 1999. Atualmente, esse segmento de negócios representa 99% de todas as empresas em operação no país. “Vivemos um momento importante e simbólico para nós, já que mutirão significa união, apoio, entusiasmo, parceria e foco”, afirmou Melles no início de uma carreata que percorreu o centro da cidade satélite de Brasília. “Além disso, estarmos aqui é uma forma de mostrar aos empreendedores que estamos à disposição, assim como acontece em outras manifestações de apoio aos pequenos negócios pelo Brasil, onde nossas unidades regionais estão realizando ações semelhantes neste dia”, completou o presidente da instituição.

Durante o dia, centenas de analistas do Sebrae Nacional e do Distrito Federal percorreram a cidade para orientar os donos de micro e pequenas empresas sobre como gerir bem seus negócios. “Eles são a grande força de trabalho e de geração de empregos neste país”, reforçou o vice-governador do DF, Paco Brito, referindo-se aos empreendedores. “Esse é um momento muito importante para nós. Assim como o Sebrae tornou-se a primeira necessidade da população, também não queremos mais cestas básicas, queremos mais dignidade”, observou o administrador da Região Administrativa do Sol Nascente, Godim Carneiro.

Ao cumprimentar os donos de pequenos negócios de Ceilândia, o diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, lembrou da importância do segmento para economia brasileira, principalmente em momentos de crise. “Esse pessoal é que faz a diferença. Eles precisam ser reconhecidos e estamos aqui para afirmar que eles são nossa razão de existir”, disse Quick. No evento, o superintendente da instituição no DF, Valdir Oliveira, destacou que os empreendedores são a esperança da economia do país. “É preciso destacar a importância do empreendedorismo e ir aonde as micro e pequenas empresas estão”, observou.

A força do empreendedor brasileiro - Uma das mais tradicionais oficinas mecânicas de Ceilândia existe há 10 anos, gera seis empregos diretos, movimenta a economia da cidade e foi aberta por uma mulher, a empresária Agda Oliver. Ela decidiu abrir a empresa depois de ter sido enganada ao consertar seu carro. O objetivo era focar apenas clientes do sexo feminino, mas o negócio expandiu, tornou a empreendedora famosa em todo o Brasil e encorajou outras mulheres a abrir seu próprio estabelecimento. “Quando falei da oficina, muita gente disse que eu era louca e isso era coisa de homem, não de mulher”, conta Agda. “Meu marido me incentivou a procurar o Sebrae, onde fiz diversos cursos, inclusive o Empretec, e estou até hoje no mercado”, observa. “Essa mulher representa os pequenos negócios no país. É de pessoas assim que precisamos”, observou o presidente do Sebrae, Carlos Melles, ao visitar a oficina Meu Mecânico. “Não adianta ter só o conhecimento e não o aplicar, pois não teremos resultados. É importante correr atrás de quem sabe, como fiz ao procurar o Sebrae”, ensina Agda, que recebeu em 2012 o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios.