Fampe

Sebrae e BDMG vão ampliar operações com Fampe

Fundo de aval para micro e pequenas empresas que buscam crédito ganha força com renovação de parceria

O Sebrae quer ampliar sua presença juntos às instituições financeiras para que se tornem parceiras na operação do Fundo de Aval das Micro e Pequenas Empresas (Fampe), criado há 22 anos, porém, pouco conhecido dos pequenos negócios e com potencial de crescimento no país. A renovação do convênio de cooperação com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) nesta segunda-feira, 27, em Belo Horizonte, faz parte dessa estratégia que visa facilitar o acesso a crédito e promover a competitividade desses empreendimentos, com apoio do Sebrae Minas.

“O BDMG está aperfeiçoando sua atuação no estado, tendo em vista a geração de emprego e renda e a renovação da estrutura produtiva por meio de investimento em inovação”, disse o presidente do banco Marco Aurélio Crocco. A parceria com o Sebrae, segundo ele, vai fortalecer essa estratégia do banco, que pretende atingir 17 mil operações com aval Fampe em 2018. “O crescimento não será só quantitativo, mas qualitativo também”, reforçou Crocco.

Atualmente, o BDMG atua em 648 dos 853 municípios mineiros e conta com uma rede de parceiros que totaliza cerca de 640 entidades com correspondentes bancários, sendo que cada um deles dispõe de dez ou mais agências, o que amplia significativamente a possibilidade de utilização do Fampe para garantia complementar para os pequenos negócios.

A diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes, ponderou que o Fampe também pode impulsionar projetos voltados para inovação, embora o maior volume de operações seja destinado a capital de giro. “Temos um potencial de alavancagem de 12% e estamos na faixa de 5%, ou seja, podemos atuar com mais força no aval aos pequenos negócios no momento da concessão de crédito pela instituição financeira conveniada com o Sebrae para operar o Fampe”, assinalou Heloisa Menezes, ao destacar que o BDMG é o segundo maior operador do Fampe no Brasil, vindo logo após o Banco do Brasil.

O diretor de operações do Sebrae Minas, Marden Magalhães, lembrou que o acesso a crédito ainda é um desafio para o crescimento das micro e pequenas empresas. Segundo levantamento do Sebrae, a cada 100 empreendedores, 42 empreendem por necessidade. Esse número tende a crescer em função das altas taxas de desemprego, o que deve aumentar ainda mais a demanda dos pequenos negócios por crédito. “O Fampe é fundamental nesse momento, pois amplia as oportunidades de financiamento para os pequenos negócios, segmento estratégico para a economia dos municípios e o desenvolvimento local”, disse.

Da solenidade na sede do BDMG participaram também representantes de instituições financeiras, como cooperativas de crédito, e entidades de classe dos setores da indústria e do comércio, parceiras do banco e do Sebrae Minas.