Empreendedorismo

Educação Empreendedora é destaque na Semana Global do Empreendedorismo

Programação contemplou assinatura de convênio, lançamento de prêmio, palestra e painel sobre essa temática

A manhã desta terça-feira (6) foi de programação intensa com o Simpósio da Educação Empreendedora, parte da Semana Global do Empreendedorismo. Na sede do Sebrae, em Brasília, aconteceu a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica com o Instituto Campus Party (ICP) e os lançamentos do Prêmio de Educação Empreendedora e do livro “Perspectivas Empreendedoras no Brasil e no Mundo”, de Camila Carvalho e Igor Gomes da Silva. Um painel, palestra e apresentação de caso de sucesso também compuseram as atividades.

Na abertura do evento, Heloisa Menezes, diretora técnica do Sebrae, destacou o Programa Nacional de Educação Empreendedora, que completa cinco anos e tem como objetivo ampliar, promover e disseminar a educação empreendedora por meio da inclusão de conteúdos de empreendedorismo nos currículos de diferentes níveis de ensino no país. “Hoje é um dia de celebrarmos várias iniciativas em prol da educação empreendedora no Brasil. O Sebrae tem o empreendedorismo no seu propósito e é fundamental que a veia empreendedora esteja presente em todos nós, desde os momentos iniciais das nossas vidas.”

Em seguida, Heloisa Menezes, o diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Vinicius Lajes, o diretor técnico do Sebrae no Distrito Federal, Júlio Miragaya, e Francesco Farrugia, presidente do IPC, subiram ao palco para firmar o acordo de cooperação técnica. Essa parceria Sebrae e IPC visa promover a cultura de empreendedorismo junto a jovens de 10 a 18 anos, participantes dos Laboratórios Include.

Antes do lançamento da 1ª edição do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora, os participantes conheceram a experiência do professor Wemerson Nogueira, que levou seus alunos de Ciências a filtrar a água do Rio Doce, que foi contaminada após o rompimento da barragem de rejeitos da Samarco Mineração, ocorrida em Mariana (MG). Junto com seus alunos da escola pública de Nova Venécia (ES), o Educador Nota 10 recuperou a qualidade da água e, em seguida, conquistou uma série de prêmios no Brasil e no exterior.

O prêmio instituído pelo Sebrae busca identificar, estimular, reconhecer e divulgar as melhores práticas da educação empreendedora no Brasil. Ele está organizado em quatro categorias (ensino fundamental, médio, profissional e superior) e se destina à profissionais de escolas públicas e privadas, que poderão participar por meio equipes integradas por reitores, diretores, coordenadores e professores em todos os níveis de ensino. As inscrições vão até o dia 28 de fevereiro de 2019, por meio do site: http://cer.sebrae.com.br/

Programação diversificada
O painel “O que estou fazendo com o que tenho recebido?”, com Alessandra Alkmin e Geraldo Campos, deu continuidade à programação. Alessandra é diretora de Inovação da Associação Brasileira de Recursos Humanos e falou sobre o mundo Vuca – volátil, incerto, complexo e ambíguo. O conceito Vuca expressa a complexidade da sociedade contemporânea com a interconexão, interdependência e globalização.

O professor Geraldo Campos também compôs o painel com o tema “Como transformar o TCC em uma startup”. Ele explicou o seu projeto, TCC Startup, de fomento à cultura empreendedora, que desenvolve na Universidade UniSul, de Santa Catarina, visando transformar os projetos em realidade e aplicá-los para resolver problemas de mercado.

Para fechar as atividades do Simpósio, o professor Luiz Candreva abordou o tema “Transformando a sala de aula – O futuro que a gente não vê” em sua palestra. Luiz é fundador da CoLab, agência de publicidade digital focada em startups e suas necessidades. Na oportunidade, ele destacou as facetas da inovação no passado e na atualidade, fazendo um paralelo e indicando riscos e oportunidades do mercado.